quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Quadro Hora da Musica! Banda Cafeina

Hello! Galerinha .. como todos sabem nosso blog sempre foi envolvido sempre com Livros, Eventos e Música,, fazia tempo que não entrevistávamos uma banda e vamos inaugurar novamente o quadro chamado "HORA DA MÚSICA" ..E NOSSA PRIMEIRA BANDA É ..

BANDA CAFEINA 

Diário – Olá galera do Cafeina.. muito obrigado por estar nos dando o prazer de termos boa música. Primeiramente queria que a banda se apresentasse.. e contasse para nós de onde surgiu a ideia da banda.

Banda- Que isso Dany, nós que agradecemos  pela oportunidade para contar um pouquinho da nossa trajetória.
No baixo e vocal está o André Costa, na bateria o Clailson Sena ( filho de família de músicos aqui da cidade), nas guitarras estão o Renan Miranda e eu,  Moletom Saldanha.

Buscando um pouquinho do início. No final de 2004. A banda surgiu no interesse do Adriano Costa e eu, Moletom Saldanha em aprender a tocar violão, e ali, nos desenvolvimentos dos primeiros acordes, o Adriano (baixo) conhece um rapaz que dava aula de violão para um amigo dele que por sinal é meu amigo também, (o Diego Brasil) mediante a isso, o Adriano pediu para ele nos ensinar, e nesse período começamos ir toda tarde para casa deste professor, que gostou muito do nosso desenvolvimento, gostou do nosso interesse, da nossa dedicação para aprender as noções musicais. Em pouco tempo ele, o professor, começou a jogar a ideia de que era possível montar uma banda, que queria fazer parte deste projeto com a gente, foi muito importante isso, pois dai, começamos a desenvolver a banda. Já a principio com três integrantes, sabendo quem seria o quarto, ou a quarta, por melhor assim dizer. A nossa primeira vocalista, Gaby Barros (vocal), ficamos sem saber quem poderia ser o quinto integrante, tirando o professor, que sabia mais que todos nós, tínhamos que encontrar alguém que iria iniciar a aprendizagem musical no mesmo nível que o nosso.  O Adriano (baixista) teve a feliz ideia de chamar o nosso primo Tiago (baterista), que mais tarde ganhou o apelido de Purosso. Compramos a primeira bateria toda surrada, conseguimos também uma guitarra de terceira mão e demos inicio a primeira formação da banda.
O professor Madson Careca (guitarra), Adriano Costa ( Baixo),  Gaby Barros (Vocal), Tiago Purosso (Bateria) e eu, Moletom Saldanha (Guitarra).
O tempo foi se passando mudanças foram acontecendo, primeiro o Madson (guitarra) sai, não colocamos ninguém em seu lugar, logo depois trocamos de baixistas, um irmão pelo outro, o André Costa (baixo) (2010) entrou no lugar do Adriano Costa (baixo) (2005), em seguida, o Diego Brasil (2010) que acompanhava os nossos ensaios assume a outra guitarra. Esta foi à formação que tocou pela primeira vez para familiares, amigos e vizinhos: André Costa (baixo), Diego Brasil (guitarra), Gaby Barros (vocal), Tiago Purosso (baterista) e eu, Moletom Saldanha (guitarra).
Logo depois o Diego (2010) sai, ficamos sem chão, pois ele era o nosso cabeça musical, o Tiago (baterista) disse para nós chamarmos o Claison Sena (baterista), para assumir a bateria que o ele (Tiago) cederia o lugar e assumiria a outra guitarra.
Assim começamos a produzir músicas, e em julho de 2011 a Gaby (vocal) saiu, depois de ter nos apresentarmos no FESTTIVAL ROCK NA VEIA ANANINDEUA, ficamos parado por 1 ano sem produzir nada. Procurando vocalista e nesse período achamos o Renan Miranda. Ele participou de alguns ensaios como vocal, mas decidiu que ainda não era hora dele, pois ainda se achava não preparado para participar da banda e apareceram outros vocais, mas sempre nessa situação, aparecia em dois ou três ensaios e depois não aparecia mais.

Voltamos em julho de 2012, e a trabalhar nas músicas  produzidas, depois de ter tentado arrumar outro vocal, as tentativas foram ineficazes. O  meu pai (Milton Saldanha), Moletom (guitarra) e do André (baixo/vocal) disse para ele (André) ir cantando só para não ficarmos parados,  e isso deu muito certo.
Fomos ensaiando e apresentando um repertório mesclado com autorais e covers, e em 2014 o Renan Miranda (guitarra) volta, na época, ainda não tinha conhecimentos musicais e isso dificultoso pra ele, então achou melhor não continuar, e só em 2014 nos encontramos  ( Renan, Moletom e André) em um evento aqui na cidade (Castanhal/Pa) e fizemos o convite novamente, só que agora, como guitarrista.
FORMAÇÃO
Diário-  O nome da banda “Cafeina” surgiu de onde? Existe algum sentindo especial para vocês?


Banda- Quando o Madson Careca nos ensinava a tocar violão para eu, Moletom e o  Adriano Costa. Havia mais dois rapazes que estavam aprendendo a tocar. Eles curiosos, queriam saber o nome da banda e perguntaram para o Madson, que disse para eles: Tem de ser algo que identificasse com os integrantes da banda. Um dos rapazes vendo a garrafa de café, disse que poderia ser a formula da cafeína, e falamos não (Madson, Adriano e Moletom), a fórmula ficaria grande, então põe Cafeína mesmo. Na hora todos rimos, pois o nome não parece com banda de rock, tem mais haver com o nome de banda de brega, “outro estilo de música que predomina em nosso estado” e pedindo desculpas desde já, pois respeitamos todos, existia uma banda de brega com o nome “Caferana”, e a comparação era inevitável, e por isso, não queríamos aceitar. Mas falamos para um amigo nosso que na época bebia muito com o nosso pai (Adriano, André e do Moletom), esse amigo, insistia muito com o nome e foi fazendo propaganda mesmo sem a banda ter tocado em público, eles (o público) já sabiam o nome, e por isso ficou.  
Sobre sentimento, Isso tudo porque os fundadores eram todos viciados em café e da liberdade que nome da, e também agora virou uma carta na manga, pois quando se falam “Cafeína” podem até lembrar de “Caferana”, mais quando vão ouvir ou assistir, iram ter uma outra concepção de som.


Diário- Vocês estão no cenário do rock paraense já a algum tempo, como sabemos iniciar uma carreira musical em nosso Estado não é fácil e o apoio é quase nulo, como foi essa estrada para você?

Banda- Sim, isso é uma verdade, o cenário do rock paraense é dificultoso, mais acho que ponto chave aqui é NUNCA DESISTIR, por mais que não tenha apoio de secretaria da cultura, por mais que seja difícil divulgar música autoral até em nossa cidade, por mais que o público ainda esteja mais  educado a ouvir covers do que música autoral, por mais que mudem os integrantes, mude as melodias das canções, e haja mudança em todo o contexto, que continue sempre essa ideologia de levar a música pra todos os cantos não só do Pará, mais do Brasil e quem sabe do mundo, a música tem esse poder.

Diário- O símbolo da banda é algo bem diferente, gostei dos leões e também das muletas, existe algo em torno deste símbolo, vocês aderem a inclusão musical para deficientes?

Banda- Ideologicamente falando, ele representa respeito à diversidade e respeito à vida no geral dos seres.
Interessante a sua visão sobre as muletas, ainda não tinha parado pra olhar este lado, o leão é a força, a garra, a observação, a inteligência, a perspicácia, já sobre as muletas, quando tivemos as primeiras ideias de símbolo ela já estava, era ela (muletas) e um taishi que representa duas forças, e as muletas nas diagonais pra fazer parecido com símbolo do jackass, pois o símbolo trazia a diversidade como representação. Mas já que tocaste neste assunto, e achei muito interessante, a inclusão é um assunto muito importante, mais não criamos o símbolo olhando para a deficiência. Mas por outro lado, a um integrante na banda que usa muletas.                  
                                    1°Simbolo                                                2°Simbolo


Diário- Vamos falar um pouco do novo cd de vocês.. mostre para nós os nomes das músicas, quais foram as mais trabalhosas, quem as compôs, e como é o processo criativo da banda..

MÚSICAS:

01 – Conflitos                                                                                                                                             02 – Ideais                                                                     Podem ouvir!
03 – Passos em Falso                                                               
04 – 10X Menos                                             SPOTIFY: http://spoti.fi/2cxGhb6
05 – Desabafo                                                                                                        
06 - Retrato Social                                          GOOGLEPLAY: https://goo.gl/LRTyoS

                                                                        ITUNES: http://apple.co/2bVRdtU
                                                
                                                                 DEEZER: http://www.deezer.com/album/13492687 

  Banda- Em 2016 a banda lançou seu Primeiro trabalho intitulado “Ascenção”, porque sempre quando estava se firmando acontecia algo para desestabilizar e parar os trabalhos. As saídas dos integrantes é um dos fatos, um mais complexo ligado a isso, foi o falecimento do pai de (Moletom, André e Adriano) no inicio da gravação da EP, pois o “Chefe” Sr. Milton Saldanha sempre esteve muito presente em todos os processos no que tange sobre valores, sobre moral, o grande incentivador. E foi dado uma pausa de tudo, por uns 7 a 8 meses. O interessante que o Janilson (produtor) foi paciente conosco, não digo só pelo fato triste, ele sempre deu dicas para melhorar o que já estava pronto.
A EP contem 6 faixas, 01 – Conflitos, foi a primeira música que foi feita, era uma versão, com a entrada do Diego Brasil, o a transformou em um hardcore, 02 – Ideais, foi a canção que deu problema na hora da gravação, 03 - Passos em Falso, já tinha sido gravada (ainda com a Gabi nos vocais).com um amigo que tem estúdio caseiro, só pra  ouvirmos como estava o nosso som, 04 - 10X Menos, foi a que mais mudou, desde a primeira vez que fizemos até no processo da gravação, pois ela estava faltando guitarra e o Janilson (produtor) fez para nós, créditos dele, 05 – Desabafo, houve algumas alterações, sacada interessante é o pedal duplo, 06 - Retrato Social, tem um fato interessante, a letra é de um amigo de trabalho que fez um poema, que depois de tanto insistir pra ele me dar pra fazer uma canção, no ultimo dia do seu trabalho, porque ele foi despedido primeiro que eu, (moletom) me deu o poema que virou música.
 As letras são da Gaby (ex. vocal) e o poema Retrato Social que virou música do Diego Tavares (amigo de trabalho).
Processo de criação é livre, se faz alguns arranjos nas guitarras ou no baixo, ou algum groove interessante na bateria, quando nos reunimos para o ensaio, vamos  encaixando partes por partes, juntamente com a letra. Mais não é só este processo, esse é um deles, também pode-se fazer uma base rapidamente e encaixar com uma letra e depois é só organizar a bateria e instrumentos. E se sentimos que ficou faltando algo na música, vamos criando até ficar ao nosso gosto.

Diário- Esse é o primeiro cd de você e já o podemos intitular de hardcore, ou a banda possui um estilo próprio?

Banda- Não nos preocupamos com a intitularidade, nos nomeamos rock alternativo para poder trabalhar com liberdade de criação. Deixamos para as pessoas que escutem, ou escutam a nossa música darem as opiniões, que pra nós, são muito importantes, e o estilo, gostamos de ouvir de tudo, ai é complicado fechar a banda a um estilo, a uma formula, pois podemos vim a  produzir de diversas formas, experimentar diversos tipos de sons.  


Diário- Onde será o lançamento do cd, podemos esperar um evento?

Banda- O cd, lançamos em um evento online feito na pagina do facebook da banda (link do evento- http://bit.ly/1YzuTtM) na madrugada de 15 pra 16/05/2016, por enquanto estamos trabalhando apenas com a divulgação online, pois acreditamos ser uma forma que esta acessível a todas as pessoas, mas vamos trabalhar com mídia física ( cd físico), pois precisamos trabalhar com todas as formas possíveis de divulgação.

Diário- Cafeina já é uma banda consolidada, tive o prazer de ouvir o cd e todos estão de parabéns pelo trabalho, mas como sabemos a música e o rock não pode parar, quais serão os próximos planos da banda?

Banda- Estamos trabalhando na divulgação da Ep, vamos gravar videoclipes.  Final do ano, para o estúdio gravar a próxima EP, pois já estamos trabalhando nas novas músicas.

Diário- Queria que vocês deixassem um incentivo para as próximas bandas que viram, o que essas bandas podem esperar?

Banda- Podem esperar um som com muita vibe positiva pra ninguém ficar parado, com letras que reflexivas, e com um som diferenciado.

Diário- A última pergunta sempre fica em aberto é o espeço que nosso blog oferece para as bandas colocarem suas redes sociais, falar da agenda, fazer agradecimentos, publicar alguma letra .. em fim ... use esse espaço para o que acharem melhor .. e muito obrigada por nos darem esse tempinho ..

Banda- Gostaríamos de agradecer pela oportunidade de poder contar um pouquinho de como foi e esta seguindo a nossa historia na música, agradecer a todas as pessoas que passaram pela nossa vida, são de mais importantes, as pessoas que nos escutam, as que vão aos eventos.
Muito obrigado a você Dany, pois acompanho o seu trabalho e sempre possa estar apoiando as bandas! Parabéns Diário e VIVA AO ROCK!

Pra saber mais!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fale o que achou!!