segunda-feira, 1 de agosto de 2011

LIVRO VERÃO- PARTE 18




*OBS: Devido alguns problemas técnicos de formatação a fic ficou fora de ar por alguns meses, mas esta a tona de novo, e se Deus permitir.. vamos curte muito essa história.. MUITO OBRIGADO O Dd1Ch (DIÁRIO DE UMA CONTADORA DE HISTÓRIA)AGRADECE SUA PREFERENCIA ^^

Sábado, 11, Setembro de 2013
Já são exatamente 10:00, já fiz todas as minhas necessidades e vou aproveitar esse momento para narrar alguma coisinha que aconteceu durante a semana e as que vão acontecer..

Os dias no curso se seguiram, assim como o fato de eu ter conhecido mais humanos, mas mantive o alerta que Lay me falou sobre Tay, ele sempre me rodeava, mas sempre eu dava um jeito de me afastar, até que na sexta passada, marcamos de ir terminar o trabalho na casa da Larissa, já que era a única que não ficava tão longe e que todos já conhecíamos.

Durante os dias até sexta, meu pai me encheu para que eu não fosse e enviasse por e-mail minha parte, mas neguei e Jacob me levou de tarde para a casa da Lay e todos já estavam lá sentados na varanda da casa, Jacob abriu a porta e não ligou muito pros meus amigos e me deu um beijo normal, mas que fez meu coração acelerar.

Já tava tudo certo, Jake iria ir me pegar as 17:00 e eu aceitei, quando cheguei até meus amigos, Tay me olhou com um olhar estranho, assim como no resto da semana, e disse “então esse é seu namorado, nem desconfiava.” Eu disse “Para mim Jake e muito mais do que meu namorado” ele continuou “há!!, então você já transaram?”

Eu fiquei tão irritada com isso que sentei do lado da Lay e apertei sua mão e ela que falou no meu lugar “Tay se meta na sua vida e não na das outras pessoas, é falta de educação sair perguntando sobre a vida sexual das pessoas, seu... seu... intrometido.” Parecia que esse tal de Tayler tava afim de confusão e continuou a falar “Olha quem fala, a enxerida que não deixa nem a amiga se defender sozinha.”

Foi o que bastou eu me levantei e disse “Se não começarmos a fazer o trabalho agora, eu vou me retirar e fazer sozinha, e cada um que faça o seu, estamos todos de acordo?.” Todos se levantaram e começaram a abrir suas mochilas e bolsas,então fizemos o trabalho, quando terminamos Tay nem me deu tchau e saiu com Colin na moto.

Os gêmeos Wendy e Wendell ficaram me perguntando sobre a localidade da minha casa e a Kachyra resolveu falar comigo, sentou do meu lado quando a Lay fazia um lanche para nós e disse “você faz bem em ignorar o Tay, ele é um tipinho de homem que não presta nem para transar, falo isso por experiência própria, já o conheço faz três anos e até hoje não sei de onde ele veio, a origem de sua familia, nada... (observei que ela estava triste) só sei que ele não presta.”

Os Gêmeos concordaram mas não falaram nada, eu perguntei “não quero me intrometer na sua vida, Kachyra (ela me parou e disse “só Kachy”).. pois .. Kachy não quero me intrometer só me responda, porque ele não presta? Por que você sente nojo dele? O que ouve?” Kachy me olhou e disse...

“Minha amiga, o Tay me enganou direitinho com esse ar de conquistador e essa lábia de safado, quando todos nós estávamos no segundo ano, ele me seduziu e comecei a namorar com ele, sendo que a Larissa também, mas nem eu e nem ela desconfiávamos...” eu olhei para a minha amiga Lay segurando os copos com cara de surpresa vendo a Kachy se pronunciar pela primeira vez.

E a própria Lay continuou “ele enganou a mim e ela, mas quando soube, não quis mais papo com ele, me afastei e o ignorei de verdade..”Kachy continuou “Mas eu o perdoei, eu o amava e deveria tê-lo ignorado também.. passamos quase o ultimo ano todinho namorando e eu adorava isso, a menina mas bonita da escola, namorando o cara mas gato eu estava me sentindo a tal, mas não me tocava o quanto isso iria me prejudicar.”

“Quando estávamos indo pro baile de formatura, Tay me perguntou se no meio da festa não toparia de sair com ele, eu disse sim, o amava e confiava nele, no meio da festa para encurta a história, ele me tirou do baile e me levou para um apartamento em Port Angeles de um amigo dele, quando chegamos sabia que naquela noite iria me entregar a ele...”

Observei a história e olhei nos olhos de Kachy e as lágrimas dela saíram, saíram com amargura, com dor, sua voz se modificou como se estivesse falando de algo nojento, e continuou “Mas quando estávamos nos beijando o clima como sempre esquentou, ele me jogou no sofá e de uma maneira bem violenta, rasgou minha roupa, ele era mais forte que eu, não podia gritar, pois suas mãos estavam em minha boca e o que adiantaria não tinha ninguém no apartamento...”

“de uma maneira bem nojenta e violenta acabei perdendo a virgindade, algo que minha mãe prezava muito, por causa desse... (ela relutou para não falar palavrão) eu só não o matei, porque não tinha como, pela manhã seu amigo chegou e me ajudou, me levando de carro em casa e já dentro do carro indo para Forks ele me disse..”

“ Você deveria ficar longe do Tayler, ele não presta, é por isso que estou me mudando, esse infeliz já aprontou muito comigo e não quero mais me envolver com ele, se eu fosse você, não deixava que ele encostasse mais nem um dedo em você.” Eu o ouvi e me afastei dele, mas perdi minha mãe, ela me rejeitou pelo fato de sermos cristãos ortodoxos e fazer sexo antes do casamento é um crime mortal..”

“Ela me deixou morando com meu pai onde estou até hoje e se mudou para Espanha, para morar com a minha avó, esse canalha acabou com a minha família, me afastou da minha mãe e hoje o odeio tanto, que o simples fato de olhá-lo me da vontade de vomitar, Carlie fique longe dele, finja que nunca o conheceu..”

Nessa hora Jacob chegou e deu uma buzinada, então falei que pela manhã estaria com eles no curso...

No outro dia, mais histórias bizarras do odiado Tayler, agora vindas do Wendell, estávamos lanchando na mesma mesa de sempre, quando meu novo amigo começou a falar “Carlie,ontem não deu tempo de contar a minha historia, mas Tay também tem sua parcela, eu era todo empolgado com festas e adorava sair, um dia Tay me convidou para ir a uma boate, eu não podia entrar mas ele me ajudou e entramos por trás, a noite estava muito legal, dança, risos.. foi ai que..”

“Tay resolveu dançar com uma menina que já tinha namorado, o rapaz ficou com raiva e começou a brigar com Tay, para não ter mais confusão me intrometi no meio deles e os separei, nessa hora a policia chegou e começou a revistar todos, e claro quando chegou na minha vez havia um canivete no meu bolso, não era meu, eu odiava violência e nessa hora Tay falou no meu ouvido “se você falar que é meu, você morre” e claro disse que era meu...

“acabei prezo e minha mãe foi me tirar da prisão, meu pai me colocou de castigo e desde desse dia só saio se for com um deles...” eu fiquei olhando e perguntei para a Wendy “e você,o que ele fez a você amiga?” nessa hora Wendell suspirou e disse “Graças a Deus nada e ele não é nem burro de encostar aqueles dedos nojentos dele em minha irmã, ai sim posso até morrer, mas ele vai comigo.”

Comecei a ter medo desse tal de Tayler, me afastei dele o quanto pude, e isso me ajuntou mais ainda com meus novos amigos... Wendy, Wendell, Kachyra e Larissa, nesse mesmo dia marquei com eles de que na quarta virem ver um filme na minha casa, eles adoraram, mas pelo fato de nunca terem ido tão a fundo nas terras de Forks.

Os dias se passaram e eu queria muito que esses humanos fossem meus amigos e confiassem em mim, eu comecei a ver uns vestidos que não entravam mais em mim e os separei, coloquei em umas sacolas e separei mais ou menos o gosto de cada uma das meninas...

No dia que levei os vestidos sabia que iríamos sair cedo, o professor já havia avisado, Jacob apareceu mais cedo por que deixei as sacolas com ele no carro, as meninas entraram no carro, Wendell foi com Jacob no banco da frente, e paramos na casa da Lay e lá começamos a tirar as sacolas...

Foi a tarde mais legal, as meninas usavam os vestidos e desfilavam, foi a coisa mais interessante que já havia feito, que não envolveu minhas tias... Os meninos assumiram a cozinha, o mais engraçado foi ver Jacob também se envolvendo com meus novos amigos...

A Kachy foi a primeira a falar e deitando na cama, onde todas nós estávamos “Carlie você é uma pessoa muito boa e engraçada, estou adorando ser sua amiga, fazia tempo que não ria assim e muito obrigada pelos vestidos, todos são lindos, mas já que vamos ser amigas, os segredos não devem existir entre nós, não concordam?” todas as meninas começaram a falar...

Lay foi a primeira “A Carlie já é minha amiga, mas seria ótimo se formasse-mos nosso clã, como vampiros, não acham? Só iria faltar um nome?” eu me espantei, será que elas desconfiavam que eu era uma vampira então Wendy falou “eu concordo, mas esse negocio de clã é meio antigo, porque não uma gangue?”

Eu comecei a rir e disse “acho realmente que clã não é muito legal, gangue é algo meio violento, por que não uma família, já amo vocês de tal maneira e protegeria cada um com todas as minhas forças.” As meninas me abraçaram e nessa hora os meninos entraram trazendo os pratos e Jacob falou “Já estão se abraçando, ixi! Wendell vamos ter que fazer nossa quadrilha também.”

Todos começamos a rir e comemos ali mesmo no quarto da Lay, cheguei em casa e já era a noite, estava muito feliz por estar me adaptando ao mundo dos humanos melhor do que eu pensava. Agora estávamos na expectativa para o cinema na minha casa, espero que ocorra tudo bem... Meu querido diário vou precisar me retirar, preciso me alimentar, volto no dia que tiver mais novidades.

ATE A PROXIMA FIC..

Um comentário:

  1. Que bom que voltou....estarei sempre por perto, para acompanhar minha fic predileta, bjus flor

    ResponderExcluir

Fale o que achou!!